Laís de cordel


Vou contar uma história

Da menina Laís

Ela é barrigudinha

E mesmo assim é feliz

Come muito chocolate

E sempre pede bis

Ela é muito criativa

E adora fazer arte

Cola, papel e tesoura

Tudo da sua vida faz parte

Mesmo quando está triste

Um carinho ela reparte

Suas bochechas são gorduchas

E sua pele é bem branquinha

Ela gosta de ouvir música

E desenhar muitas roupinhas

Come muita melancia,

Mas cospe fora as sementinhas

Ela é muito vaidosa

Na cabeça usa sempre tiara

Mas do que ela gosta mesmo

É de implicar com a irmã Clara

Está sempre muito cheirosa

Sair sem batom é coisa rara

Às vezes, é preguiçosa

Com a voz muito sedutora

Diz que quando crescer

De artes vai ser professora

Com a cabeça sempre nas nuvens

Nunca deixa de ser sonhadora

Da água ela gosta,

Piscina, chuveiro ou mar

Chuva ou bolhas de sabão

Tudo serve pra brincar

Só não brinca na hora de sentir

Vive aprendendo a amar

Clara cordelista


​Vou te contar uma história

De uma menina barriguda

Ela tem 2 irmãs

E nenhuma é nariguda

Muito embora, às vezes,

Elas sejam liguarudas

O nome dela é Clara

E ela adora perguntar

Por que a nuvem chora?

Onde acaba o mar?

Quantos anos tem o papa?

O que significa amar?

Seus cabelos são escuros

E seus olhos curiosos

Ela ronca quando dorme

E seus sonhos são medrosos

Mas assim que ela acorda

Ganha focos corajosos

Ela tem muitas amigas

E adora os animais

Não dispensa a Netflix

E vê vídeos no YouTube bem legais

Quer ser médica quando grande

Pra ajudar o mundo cada vez mais

Está sempre ansiosa

Pra saber sobre o futuro

Ela tem pressa de viver

Quer atravessar todos os muros

Nunca deixa de lutar

Mesmo tendo medo do escuro

Muitos doces ela come

Mas também vive agitada

Vai sempre bem na escola

Nunca erra a tabuada

Apesar de tagarela

Ela é muito amada