Cisco

Pedi para o Cisco vir morar comigo quando tínhamos apenas 2 meses de namoro. De alguma forma eu sabia que ele era o cara certo para mim. Ele aceitou. Três meses depois nos mudamos para nosso apartamento. Ele fez toda nossa mudança e montou a cama das meninas no quarto delas. Eu me reapaixonei.

Cisco perdeu espaço dentro de casa ao aceitar dividi-la com 3 mulheres. Ele parece nem se importar com isso. Mas agora queremos uma casa maior, com mais quartos e quintal para as crianças.

Quando começamos a nos conhecer, descobri tantos gostos em comum que foi difícil acreditar. E não falo apenas do sabor favorito de sorvete. Temos os mesmos ideais e pensamos de maneira semelhante sobre a vida, o universo e tudo mais.

Cisco fica bravo quando o chamo de mentiroso por dizer que sou linda. Mas ele entende que preciso ouvir isso todos os dias para manter a auto estima. E ele diz.

Cisco sempre quis ter filhos e nunca me escondeu isso. Ele sabe que tem duas enteadas que o amam e respeitam. Mas agora temos nossa Júlia.

Cisco disse que preciso ser mais firme e pensar mais em mim. Mas nunca o vi recusar um pedido de ajuda a alguém.

Cisco não acredita em superstições, mas isso não significa que ele não olhe para as estrelas. Muito pelo contrário.

Cisco gosta de metal, vídeo-game e computador. E também sempre me pergunta se estou bem, não por educação, mas porque ele realmente quer saber como estou e se preciso de alguma coisa.

Cisco adora animais. Mas mata todas as baratas de casa para mim e fica de olho em cada pernilongo ou aranha que possa aparecer perto da Júlia.

Cisco cozinha muito bem. O almoço é sempre por conta dele e a louça é minha. Desde que minha barriga ficou muito grande para a pia, ele faz as duas coisas.

Cisco não discute política, religião ou futebol. Até porque ele prefere airsoft.

Cisco se preocupa com o futuro e sabe que planejamento é a base para que os planos deem certo. Mas sabe também que às vezes as coisas não saem como o planejado e se mantem otimista sobre isso.

Cisco acha que o amor é construído todos os dias. Eu acho que ele é minha alma gêmea.

Nós dois estamos certos.

Anúncios

Quando

 

Quando estiver com frio, te esquento
Quando estiver cansado, te sustento
Quando faltar motivos pra sorrir, eu invento
Quando tiver que brigar, eu aguento
Quando estiver com fome, te alimento
Quando a coragem for pouca, eu aumento
Quando estiver doente, eu lamento
Quando quiser ficar só, eu entendo
Quando quiser ficar juntinhos, eu surpreendo
Quando cansar de ter paz, eu te atormento
Quando for comemorar, te cumprimento!

13913762_324534317879730_5714659951894534882_o

Apaixonei-me por um programador (que joga Airsoft nas horas vagas): e agora? – Guia básico de sobrevivência

Se o máximo de contato com o mundo dos computadores que você tem na vida é mandar e-mails e mexer no Facebook, se você nunca ouviu falar de Airsoft e não sabe o que é uma BBs, talvez este texto possa te ajudar, caso o amor da sua vida tenha aparecido agarrado no Visual Basic.
Vamos começar pelo básico.

1) Como saber se ele é um programador?
A resposta é muito fácil. Basta verificar se ele sabe linguagem binária, se ele é inventivo e gosta de quebra-cabeças e, se quiser garantir, repare se ele leva essas características para outras áreas da vida que não só a profissional.

2) Já sei que ele é programador, e agora, o que pergunto?
É preciso bolar uma estratégia. Perguntar “Você escreve programas de computador?” é um bom começo. O problema é perguntar que tipo de “programas” ele faz. Não pergunte “Você sabe formatar computador?” pra quem é programador e nem “Você pode fazer um site pra mim?” pra quem faz TI. Pode demonstrar total desconhecimento do tipo de homem com quem você está lidando. Melhor seria perguntar “Quais programas você já escreveu?” com a maior naturalidade possível, ainda que você não saiba diferenciar o Explorer do Firefox.

3) Surpresa: existem inúmeras linguagens de programação!
Se você acha que escrever um programa é como escrever um texto, guarde para si mesma. De cada 10 perguntas sobre programação que ele já ouviu na vida de leigos no mínimo 9 foram se ele faz app pra celular.

4) Será que ele faz app pra celular? Devo perguntar?
A resposta para ambas as perguntas é: provavelmente não. Aqui outra dica importante. Como a maioria de nós só entende de programas pelas caixinhas que ficam carregando antes de abrir algum sistema no trabalho, ficamos com a sensação de que só existe aquela linguagem. Então é bom saber que nem todo mundo que programa usa Java. Seu gato pode programar em PHP, C# (que se pronuncia ‘C-sharp’, eu verifiquei várias vezes), ou Visual Basic. E nenhuma dessas linguagens depende ou é exclusiva para celulares.

5) Formatação
Se você só lembra dos profissionais da computação quando seu notebook pega um vírus, saiba que nem todos eles vivem de formatar computadores alheios. E não é porque não saibam. Apenas existe um universo imenso de possibilidades de trabalho e ficar formatando aquele velho PC da sua tia pode não ter sido a área de trabalho que ele escolheu. Ficar insistindo para ele ‘quebrar o galho’ daquele primo chato que encheu de vírus o computador não será uma boa aproximação na sua conquista do programador. Aliás, depois da pergunta sobre os app de celular, essa deve ser a segunda pergunta mais ouvida por quem trabalha na área da informática.

6) TI
Estava esquecendo! TI é o técnico de informática, que às vezes, nem curso técnico tem, é apenas um curioso. Perguntar “você é TI?” é meio analfabetismo computacional e pode contar pontos negativos.

7) Será que ele é rico?
Seria meio hipócrita dizer que programação é uma área que não dá dinheiro, até porque Steve Jobs, Bill Gates e Mark Zuckerberg não ficaram milionários jogando futebol. Mas nem todos os programadores são multimilionários. Dizer que alguém é rico porque sabe programar é como dizer que alguém é rico porque é empresário ou comerciante. As chances de enriquecer são praticamente as mesmas. Depende da dedicação, do estudo e formação, da criatividade e da sorte, é claro.

Com um pouco mais de intimidade, você já pode fazer perguntas mais bonitinhas:

8) Você programa em C# (leia-se: C-hashtag)?
Adoro essa piada, apesar dele já ter ouvido mais de mil vezes de todos os leigos com quem ele já conversou.

Uma vez conquistado o coração programador com essa ótima piada repetida, deve-se atentar para uma rotina de estudos diários e finais de semana em frente ao computador. Vamos ao detalhe de uma vida a dois.

9) Prepare um espaço na casa para o material dele.
Cabos, circuitos, transistors, resistors, Arduínos, solda, CDs, DVDs, pendrives e mais cabos. Tudo isso exigirá um local na sua casa. A sugestão é você manter um espaço seu com livros, revistas, gramáticas e canetas para evitar que o espaço mais nerd e criativo da casa seja mantido apenas pelo seu marido.

10) Prepare um local para o hobby.
Como diz o título: ele joga Airsoft e essa é uma parte legal. Além de extremamente apaixonado pela programação, ele tem um hobby que adora! Prepare os armários da casa.
Adendo: Você aprenderá sobre armas, estratégias de jogo e equipamento de segurança. Nunca diga que um hobby é perda de tempo. Todo mundo precisa de um momento de lazer, pra relaxar e conhecer novas pessoas. Numa partida de Airsoft, uma boa arma ajuda muito, como o carro na F1, mas se alguém que não tiver paixão pelo esporte atirar, ele perderá as 3 vidas em menos de 10 minutos de jogo.

11) Você ficará longe do seu amor por algumas horas
Seja longe mentalmente, enquanto o cérebro dele se perde em condicionais e cálculos de programação, seja fisicamente aos domingos de manhã, quando mesmo cansado, ele acorda de madrugada para ir jogar. No entanto, por mais que ele fique um tempo longe, ele sempre voltará para estar com você e assistir um filminho juntos no domingo à noite.

12) Compre dipirona
O esforço, seja programando, seja jogando, exigirá muito dele. Se você acha que homens são seres inatingíveis e que não adoecem é melhor largar mão logo.

13) Prepare-se para incentivar, apoiar, sugerir etc..
Você ficará horas ouvindo-o falar apaixonadamente sobre uma nova modalidade de jogo que a equipe está planejando para o próximo final de semana, ou sobre o mais recente programa que ele está escrevendo. Durante o discurso dele, cabe a você prestar atenção, questionar e realmente entender o que ele está explicando, mesmo não entendendo muito.

14) Os finais de semana
Reza a lenda que o Dalai Lama, antes de virar sacerdote, namorava uma programadora de computadores que jogava Airsoft, mas não tinha paciência para acompanhá-la e por isso resolveu virar monge budista.
Prepare-se para ficar ao lado dele por horas sem trocar uma palavra (ainda que de vez em quando ele resmungue sozinho). Depois de inúmeros testes ele vai te chamar para ver o programa que ele acabou de escrever. Agora é torcer para o sistema funcionar na sua frente, ele ficar satisfeito com o trabalho que realizou e fazer valer aquelas horas em silêncio.
Material básico para essa tarefa:
– Um hobby: como eu disse acima, todo mundo precisar de um momento de lazer.
– Um livro.
– Uma conta na Netflix.
– Um pacote de redações para corrigir: Ele trabalha, você trabalha.
Uma barra de chocolate é também uma boa opção, mas há que se atentar para as calorias.

15) E se, com o tempo, eu sentir ciúme do Airsoft?
Se você estiver achando que ele passa mais tempo com a arma do que com você, pense duas vezes antes de falar o famoso “ou ela ou eu”. Há uma expressão que diz: “Esposa feliz, casamento feliz.” A lógica é a mesma para os maridos…

16) Fim
Se você leu tudo e acha que dá pra eliminar os inimigos de um relacionamento a três (você, seu programador e o Airsoft) sem perder nenhuma vida, boa partida pra você.

Se não fosse

Se não fosse aquela tatuagem e o whatsapp, não teríamos remarcado… Se não fosse aquele encontro (não) por acaso no restaurante, nós não teríamos nos revisto… Se não fosse aquele filme, que eu já nem me lembro mais qual era, não teríamos nos beijado… Mas eu me lembro da sua pele vermelha na foto, lembro da camiseta branca no restaurante e do gosto de pipoca do manteiga em nosso primeiro beijo.

Se não fosse aquele ventinho no meio da noite, você não teria acordado pra me cobrir… Se não fosse pela vontade de nos ver todos os dias, teríamos economizado muita gasolina… Se não fosse o carinho e amor que você tem por crianças, não teríamos vingado… Mas eu me lembro do edredom a noite, do carro vermelho passando debaixo da minha janela e do encontro a dois transformado em passeio em família.

Se não fosse a graduação, continuaríamos a nos ver todas as noites… Se não fosse a saudade, não haveria a alegria do reencontro… Se não fosse a carga do passado que carregamos, o futuro teria sido construído de maneira diferente… Mas eu me lembro da contagem regressiva pra sexta-feira e das despedidas esperançosas das segundas de manhã, me lembro das conversas na garagem.

Se não fosse a chegada do apartamento, não haveria o convite… Se não fosse amor verdadeiro, você não teria aceitado… Você abriu mão de muitas coisas pra ficar comigo e eu agradeço diariamente por isso.

Se não fosse a colaboração mútua, não teria dado tão certo… Se não fossem as concessões e a compreensão, não teríamos passado do primeiro mês… Se não fosse a paciência, não seríamos nós… Mas eu me lembro da mudança, do computador para as meninas e dos momentos de paz.

Se não fosse o planejamento, não teríamos Goiás… Se não fosse o carinho e respeito conquistados, não teria dado certo… Se não fosse o sol, não teria dado Praia (do Cerrado)… Mas eu me lembro da dor nas costas ao dirigir tanto, da noite pousada na beira da estrada e das fotos embaixo d’água. Lembro-me do seu sorriso de moleque ao descer no escorregador gigante.

Se não fosse a tristeza, não teria o agradecimento… Se não fossem seus pais, eu não teria você aqui… Se não fosse seu aniversário, não teríamos brigadeiro… Mas você está envelhecendo comigo e tenho ciência do privilégio que isso é.

Se não fosse a vontade de crescer, teríamos parado por ali… Se não fosse o amor universal, não teríamos decidido… Se não fosse a promessa do apoio, eu desistiria… Mas eu confio em você e sei que dará certo…  João.

Se o mundo não tivesse cor-de-rosa, eu estaria mais cinza… Se você não ajudasse a colorir a festa, eu teria ficado arrasada… Se os enfeites se pregassem sozinhos no salão, eu não teria me dado conta do quanto sou rodeada de amor e empatia… Mas eu me lembro do xbox sujeito a mãos meladas, das toalhas em cima da mesa e do afago nos ombros ao me pedir pra manter a calma.

Se não fosse o desejo maior, teríamos uma moto… Se não fosse a balança, não precisaríamos adiar o futuro… Se não fosse o cubo-mágico, não teríamos uma nova tattoo… Mas eu entendo o dinheiro, agradeço pelo leite desnatado e admiro os quebra-cabeças.

Acredito que se não tivesse escrito, não teria acontecido… Mas sei também que lutamos diariamente pra fazer acontecer, pois, por mais que os acontecimentos dependam do acaso, nosso amor depende apenas de nós.